quinta-feira, 28 de fevereiro de 2008

Memórias: Edifício do Clube da Sertã


No seu interior está albergada a segunda colectividade mais antiga da Sertã (Clube da Sertã) e durante muitos anos foi esta a única sala da vila com capacidade para receber espectáculos culturais.
As suas paredes estão carregadas de histórias e no palco do cine-teatro passaram muitos homens e mulheres que encheram de brilho os dias e noites da Sertã. As sessões de cinema são uma alegre recordação e os espectáculos de teatro foram “transferidos” para a Casa da Cultura.
Inaugurado a 25 de Julho de 1915 e sujeito a profundas obras de remodelação durante a década de 40, este edifício é um dos marcos culturais e arquitectónicos da nossa vila.

Nascem menos bebés e morrem mais pessoas


Os números são preocupantes e devem merecer a reflexão de todos nós. O Instituto Nacional de Estatística (INE) publicou esta semana as Estatísticas Demográficas relativas a 2006 e a região do Pinhal Interior Sul, que agrupa os concelhos da Sertã, Oleiros, Proença-a-Nova, Vila de Rei e Mação, não ficou muito bem na fotografia.
Desde logo, o Pinhal Interior Sul foi a região do país que apresentou, em 2006, a maior taxa de mortalidade, com 17,9 por cento (a média do país está nos 9,6 por cento). Ainda assim, a esperança média de vida desta região é de 77,4 anos, um valor bem acima dos 68,5 anos da Beira Interior Sul (Castelo Branco, Idanha-a-Nova, Penamacor e Vila Velha de Ródão).
Se a taxa de mortalidade é a maior, a de Natalidade está entre as três mais baixas de Portugal. Em 2006, nasceram no Pinhal Interior Sul apenas 249 crianças.
Mário Leston Bandeira, presidente da Associação Portuguesa de Demografia e professor no Instituto Superior de Ciências do Trabalho e da Empresa (ISCTE) mostra-se muito preocupado com estes resultados. “É a questão da interioridade. O Interior, de Norte a Sul, é uma zona que está a morrer do ponto de vista demográfico” alerta.
O Pinhal Interior Sul é, no entanto, a região portuguesa onde se verificaram menos divórcios (apenas 1,2 por cento dos casamentos terminaram em 2006).

quarta-feira, 27 de fevereiro de 2008

Novo Mapa Judiciário promete dar que falar


É apenas uma proposta, mas promete dar muitas dores de cabeça ao Governo. O novo Mapa Judiciário, que se encontra em discussão, encerra várias novidades, nomeadamente a possibilidade do tribunal da Sertã vir a ser integrado na circunscrição judicial Beira Interior Sul, que terá sede em Castelo Branco.
O novo Mapa baseia-se no modelo de divisão administrativa NUTS III (Nomenclatura das Unidades Territoriais para fins estatísticos). “As especiais características e necessidades do sector judiciário exigem que a divisão territorial se aproxime da evolução natural do volume processual, em cada zona”, refere o documento.
As críticas a este mapa têm surgido de todos os quadrantes. Relativamente ao distrito a principal crítica prende-se com a possibilidade de vir a ser criado um único tribunal de comarca em Castelo Branco, o que, segundo a União de Sindicatos de Castelo Branco, “esvaziaria os tribunais da Covilhã, Fundão, Penamacor, Idanha-a-Nova, Oleiros e Sertã”.
Para o coordenador da USCB, Luís Garra, “a proposta não tem em conta o real movimento processual de cada um dos tribunais” e “aumenta os custos com deslocações, ao afastar a justiça dos cidadãos”.
“A proposta admite a criação de juízos de competência especializada noutros tribunais, sem especificar, mas mesmo que isso aconteça, todos os outros processos passariam para Castelo Branco. Ou seja, o que está em causa não é o fecho físico, mas o esvaziamento dos tribunais”, acrescenta este responsável.

Palestra sobre D. Carlos na Casa da Comarca da Sertã


A sede da Casa da Comarca da Sertã, em Lisboa, recebe amanhã, a partir das 21 horas, uma palestra sobre o rei D. Carlos, numa altura em que se assinala o centenário da sua morte.
Os oradores convidados para esta palestra são Rui Ramos, Investigador Principal do Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa e autor do livro «D. Carlos (1863-1908)», e José Manuel Martins Carneiro, director do Palácio Nacional da Pena.
Esta será a primeira iniciativa da recém-empossada direcção da Casa da Comarca da Sertã, presidida por Pedro Amaro, e tem entrada gratuita.

segunda-feira, 25 de fevereiro de 2008

Praça da República sem carros

O presidente da Câmara da Sertã, José Paulo Farinha, disse hoje, durante a reunião da Assembleia Municipal, que está a ponderar encerrar a Praça da República ao estacionamento automóvel.
Interpelado por alguns dos deputados presentes, José Paulo Farinha disse que o seu Executivo está a estudar essa hipótese, mas já foi avisando para que “depois não se venham queixar ao executivo pelo encerramento”.
Há muito reclamada, esta é uma das medidas que tem sido preconizada por vários cidadãos para que a Praça da República possa recuperar algum do brilho, que tem perdido ao longo dos tempos.

A questão que agora se coloca é a de que continua por resolver o problema do estacionamento no centro histórico da vila. Em tempos, ainda houve quem defendesse a hipótese de um parque subterrâneo por debaixo da Praça da República, mas a ideia foi abandonada. Por agora, aceitam-se sugestões.

Sertanense e Sernache ganham aos primeiros do seu campeonato

O Sertanense obteve uma brilhante vitória na deslocação ao terreno do primeiro classificado do Nacional da 3.ª Divisão (Série D), o Monsanto, e reduziu para sete pontos a distância que os separa na tabela classificativa. Quem também derrotou o primeiro classificado do seu campeonato foi o Vitória de Sernache, que recebeu e venceu o Alcains.
Com um terreno bastante pesado, devido à muita chuva que caiu durante o dia, Monsanto e Sertanense encontraram-se para aquele que era o jogo mais aguardado da 22.ª jornada.
O primeiro tempo foi muito equilibrado, com poucas ocasiões de golo nas duas balizas, e com o nulo a ser o resultado mais justo ao fim dos primeiros 45 minutos.
Na segunda parte, o Sertanense entrou melhor e Bruno Xavier num excelente remate, aos 51 minutos, colocou a equipa visitante em vantagem no marcador. O mesmo Bruno Xavier podia ter ampliado a vantagem logo de seguida, mas a pontaria não foi a melhor.
Quem teve a pontaria afinada foi Britto que marcou, aos 57 minutos, o segundo para o Sertanense.
O Monsanto só acordou com este golo dos homens de Eduardo Húngaro e tentou acercar-se da baliza de Leo Flores. Carlitos, à passagem do minuto 71, ainda reduziu para a formação da casa, mas o Sertanense segurou até ao fim a preciosa vantagem.
Em Cernache do Bonjardim, o Vitória local derrotou (2-1) o Alcains e aproximou-se do conjunto alcainense, encontrando-se agora a apenas dois pontos do topo da classificação. Os golos da formação vitoriana foram apontados por Dani e Filipe Amaro.
No Distrital de Juniores, o Sertanense venceu finalmente na fase-final. A «vítima» foi o Sporting da Covilhã e, desta forma, a equipa da Sertã encontra-se apenas a três pontos do primeiro lugar.
Em Iniciados, o Sertanense foi impotente para travar a Estação e não evitou a derrota (1-0). Com este resultado, o Sertanense mantém a oitava posição. Melhor esteve o Vitória de Sernache que, ao empatar (1-1) com o Idanhense, subiu ao nono lugar da geral.
Nos Infantis, o Sertanense não foi feliz na sétima jornada da fase-final da Taça AFCB, em virtude da derrota (4-0) averbada no terreno do Idanhense.

Quanto ao campeonato de Escolas, que conheceu a sétima jornada da fase-final, a formação da Sertã conseguiu um brilhante triunfo (3-0) diante do Valongo e subiu ao quinto lugar da classificação.

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2008

Memórias: Rua do Vale de São Pedro


É uma daquelas imagens que nos provoca uma admiração imediata, principalmente aos mais jovens (como eu!). O prédio que se vê em construção fica na rua do Vale de São Pedro e conheceu diversos inquilinos ao longo dos anos.
Na foto, também é possível vislumbrar o muro em pedra (de que hoje só existe uma pequena réplica) que acompanhava todos os que subiam em direcção à Matriz.
O conhecido prédio do “Zé Ferreira” (optámos pela designação popular) ainda não existia e os imóveis que por ali se perfilam são hoje uma memória de todos os que viveram neste tempo.

Idosos vão ser sensibilizados

O Destacamento da GNR da Sertã realiza na próxima segunda-feira, dia 25 de Fevereiro, uma sessão de sensibilização dirigida a idosos no sentido de prevenir a criminalidade em geral, nomeadamente os casos de burla de que esta população é por vezes alvo. A notícia é revelada na edição de hoje do jornal «Reconquista».
Esta sensibilização acontece no âmbito de uma acção que a Guarda Nacional Republicana está a fazer a nível nacional e a sua divulgação envolve outras entidades, como centros de dia, lares, juntas de freguesia e párocos.

Nesta divulgação estão envolvidas as populações de Sertã, Cumeada, Troviscal e Ermida. A iniciativa realiza-se a partir das 10 horas na Casa da Cultura da Sertã.

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2008

Convento de Santo António: Para que serve?


A primeira pedra foi colocada em 1635, por frei Manuel de Santa Maria. Em tempos recebeu as instalações do quartel da GNR e hoje está abandonado à sua sorte. Não é difícil adivinhar que estamos a falar do Convento de Santo António, um dos edifícios mais antigos da vila.
Depois de avultadas obras de recuperação, várias foram as ideias enunciadas para dar alguma utilidade àquele espaço. Falou-se na biblioteca, na Confraria do Maranho, num núcleo museológico. Mas nada se decidiu.
Não importa apurar responsabilidades (porque neste, como em tantos outros casos, a culpa costuma morrer solteira), importa sim perceber o que se irá fazer deste imóvel que merecia outro respeito.

segunda-feira, 18 de fevereiro de 2008

Sertanense na rota da subida e Sernache na final da Taça

O Sertanense alcançou a segunda posição – em igualdade pontual com o Unhais da Serra – no Campeonato Nacional da 3.ª Divisão (Série D), depois de vencer (2-1) o Caranguejeira, na jornada disputada este fim-de-semana. Por seu lado, o Vitória de Sernache garantiu a presença na final da Taça de Honra José Farromba, depois de eliminar a Atalaia do Campo.
Num jogo importantíssimo para a formação de Eduardo Húngaro o Sertanense bateu o Caranguejeira pela margem mínima e colocou-se numa excelente posição para lutar pela subida de divisão, durante a segunda fase. O conjunto da Sertã ocupa agora a segunda posição, com 38 pontos, e no próximo fim-de-semana desloca-se ao terreno do primeiro classificado, o Monsanto.
Na Atalaia do Campo, o Vitória de Sernache carimbou a passagem à final da Taça de Honra, depois de vencer (1-0) o conjunto da casa. O golo foi apontado por Paulo Lopes.
Os juniores continuam a não ser felizes na fase-final do Distrital, uma vez que voltaram a perder na jornada deste fim-de-semana. A AD Fundão venceu (1-0) a formação da Sertã, que ocupa a última posição desta competição, a cinco pontos do líder, o Benfica e Castelo Branco. Na Taça AFCB de juniores, o Sernache lidera depois da vitória (2-0) alcançada em Silvares.
No Distrital de iniciados, o Sertanense conseguiu um excelente empate (1-1) no terreno do Académico do Fundão e manteve a oitava posição. O Vitória de Sernache foi goleado (4-0) pela Estação e desceu para o 10.º lugar.

Em Escolas, a equipa da Sertã perdeu em casa (3-2) com o Sporting da Covilhã e continua a ocupar o último lugar da fase-final, com apenas um ponto.

quinta-feira, 14 de fevereiro de 2008

Memórias: Zona circundante à capela de Santo Amaro

Há algumas semanas recordámos uma imagem das antigas “bombas de gasolina” de Santo Amaro. Hoje, viajamos no tempo e trazemos uma foto da rua que acompanha a capela de Santo Amaro, com o antigo castelo (antes das obras que o descaracterizaram por completo) a “espreitar” lá no cimo do morro.
A primeira evidência que salta à vista é a do antigo edifício da serralharia do sr. Assis Lopes, que durante anos empregou vários habitantes da vila. Destaque também para as casas que são hoje ocupadas pelo Foto Garcia.
O jardim que serpenteia a capela de Santo Amaro está diferente, com várias plantas rasteiras a decorarem o cenário. Até os postes de iluminação nos remetem para tempos mais distantes.

Sertã recebe Parlamento dos Jovens


A Casa de Cultura da Sertã vai ser palco, no próximo dia 19 de Fevereiro, da sessão distrital de Castelo Branco do Parlamento dos Jovens, ao nível do Secundário.
O programa Parlamento dos Jovens é organizado pela Assembleia da República (AR) e visa “promover a educação para a cidadania e o interesse dos jovens pela participação cívica e pelo debate de temas de actualidade”, pode ler-se num comunicado da AR. Este ano o tema seleccionado para a sessão do Secundário é «União Europeia: participação, desafios e oportunidades».
A mesa desta sessão distrital será constituída por Catarina Louro Coelho, da Escola Profissional da Raia, de Idanha-a-Nova (presidente), Eurico Lourenço, da EB 2,3 Pedro da Fonseca, de Proença-a-Nova (vice-presidente) e por Ivo Farinha, da Escola Secundária da Sertã (secretário).

terça-feira, 12 de fevereiro de 2008

«Conversas ao Serão» regressam no próximo sábado


Daniel Serrão, membro do Conselho Nacional de Ética para as Ciências da Vida, e Henrique Jones, médico da Selecção Nacional de futebol, são os convidados das próximas «Conversas ao Serão», que se realizam no sábado (16 de Fevereiro), no Cine-Teatro Tasso, no Clube da Sertã, a partir das 21 horas. O moderador será José Neto, docente no Instituto Superior da Maia.
Nesta primeira edição das regressadas «Conversas ao Serão», serão abordados temas e experiências de vida ligados ao desporto, ciências e ética.
Para José Paulo Farinha, presidente da Câmara da Sertã, esta iniciativa é “uma oportunidade de se conhecerem histórias de vida de sucesso e trocar experiências, saberes e ideias”.Quanto aos convidados, Daniel Serrão terminou o curso de Medicina em 1951 e, desde essa altura, a sua vida profissional decorreu sempre na área das Ciências da Vida. Mais recentemente, centrou-se na Anatomia Patológica e Bioética, tendo publicado alguns estudos nestas áreas. É também Professor Catedrático de Anatomia Patológica e Doutorado em Medicina.

Por seu lado, Henrique Jones cursou medicina e exerce a profissão de médico, naquilo que foi a concretização de um sonho de infância. Desde o início da sua carreira, esteve sempre ligado ao desporto, sendo, actualmente, o médico da Selecção Nacional de futebol.

segunda-feira, 11 de fevereiro de 2008

Sertanense saiu da Taça de cabeça erguida



É um daqueles dias que a Sertã não vai esquecer tão cedo e que, concerteza, ficará na memória de todos quantos se deslocaram ao Dr. Marques dos Santos, na tarde de ontem. A visita do FC Porto à Sertã era aguardada com expectativa. A maioria acreditava na surpresa, mas os azuis-e-brancos mostraram porque são bicampeões nacionais e grandes candidatos à revalidação do título e à conquista da Taça de Portugal.
Jesualdo Ferreira tinha prometido uma entrada à Porto, mas quem entrou melhor foi o Sertanense, com duas boas investidas de Zâmbia pela direita a deixar o defesa Lino com a «cabeça em água».
No entanto, uma perda de bola no meio-campo sertaginense foi aproveitada por Farías para lançar Tarik Sektioui, que não teve dificuldades em marcar perante o desamparado Leo Flores. Estava feito o primeiro golo à passagem do minuto sete.
O Sertanense respondeu de livre (apontado por Britto, com Nuno a afastar para canto), mas o FC Porto carregou no acelerador e, a passe de Raúl Meireles, o melhor em campo, Farías, cabeceou para o fundo das redes. A equipa da casa reclamou fora-de-jogo, mas o árbitro não atendeu.
Lucílio Baptista voltou a estar em evidência, pela negativa, quando aos 37 minutos de jogo, perdoou um penalty ao FC Porto, na sequência de um empurrão do defesa João Paulo a Vicente.
Quando todos já esperavam pelo intervalo, Kazmierczak sentenciou o jogo, com um fantástico remate de fora da área, com a bola a entrar no canto superior esquerdo da baliza.
Logo no reatamento e depois do polaco atirar uma bola à trave, os portistas chegaram ao quarto golo, através de um canto apontado por Lino, a que Farías deu o melhor seguimento.
O FC Porto abrandou e o Sertanense pôde mostrar toda a qualidade do seu jogo, desperdiçando algumas boas oportunidades (Marco Farinha, Bruno Xavier e Anderson) para marcar um golo aos campeões nacionais.
A imprensa de hoje destacava os “valentes homens de Eduardo Húngaro” e a “alma imensa” dos jogadores da Sertã, que souberam lutar contra um FC Porto de outra galáxia.
Quanto às prestações individuais da equipa do Sertanense, o jornal A Bola destacou Vicente, de quem disse ser “um extremo que traça bem as diagonais” e que tem “um jeito peculiar de driblar”. Sublinha ainda que “há jogadores nestes escalões que merecem observação atenta e este é um deles”.
Já o jornal Record destacou Pedro Miguel (“não foi por ele que o Sertanense foi goleado”), Américo (“Travou Mariano como quis”), Zâmbia (“Uma seta que Lino não conseguiu parar”) e Britto (“Recuperou bolas e lançou o ataque”).
Para a história, a equipa que alinhou pelo Sertanense: Leo Flores, David Facucho (Bruno Xavier, 45’), Pedro Miguel, Anderson, Américo, Filipe Avelar (Daniel, 67’), Leandro, Zâmbia, Vicente e Hygor (Marco Farinha, 55’). No banco estiveram ainda Fábio, Maside, Joca e Milford.
Uma última palavra para a grande festa que os cerca de sete mil adeptos proporcionaram na Sertã e também para a Direcção do Sertanense que soube organizar, em menos de duas semanas, um jogo desta natureza. Ficam as palavras elogiosas do jornal A Bola: “A melhor hospitalidade do mundo serviu-se com marca beirã, inexcedíveis que se revelaram os dirigentes da casa. Mesa farta, iguarias da terra, um exemplo (quase) sem igual”.
Fotos: Paulo Novais (Lusa)

Sertanense - FC Porto (resumo do jogo)

O resumo do jogo Sertanense - FC Porto, tal como o jornalista Rui Loura, da RTP o viu:
video

sexta-feira, 8 de fevereiro de 2008

Alunos da Sertã problematizam desertificação da vila


Um grupo de alunos do 12.º C da Escola Secundária da Sertã está a debruçar-se sobre a problemática da desertificação na vila da Sertã, no âmbito do Concurso Nacional de Ideias «Cidades Criativas».
Segundo Márcia Nunes, o objectivo deste trabalho é “analisar criticamente a evolução social, cultural e urbanística da nossa vila, com a finalidade de sugerir alguns projectos inovadores, capazes de dinamizar a Sertã”.
O trabalho será apresentado ao Concurso Nacional de Ideias «Cidades Criativas», lançado pela Universidade de Aveiro e pela Associação Portuguesa de Planeadores do Território. De acordo com as regras deste concurso, o trabalho final, que será avaliado por uma comissão científica, deverá compreender um relatório escrito com 30 páginas, um poster e um blogue com a informação sobre o desenrolar do trabalho e os seus resultados. O blogue da equipa sertaginense pode ser encontrado no endereço: http://sartago_sternit.blogs.sapo.pt.

quarta-feira, 6 de fevereiro de 2008

Memórias: O primeiro jogo oficial do Sertanense


Numa semana em que o Sertanense se prepara para receber um dos «Grandes» do nosso futebol, decidimos recuar no tempo até ao dia 2 de Maio de 1971, altura em que o Sertanense realizou o seu primeiro jogo oficial, em competições futebolísticas.
A partida, a contar para a 1.ª jornada do Campeonato Distrital de Castelo Branco, opôs a equipa da Sertã ao Benfica e Castelo Branco, com a vitória (3-1) a pertencer à formação albicastrense.
Segundo os relatos da época, o jogo foi muito bem disputado, com os homens da Sertã a darem boa luta, mas a serem impotentes para travar o maior domínio dos benfiquistas, um conjunto já muito habituado a estas andanças do Distrital e também dos Nacionais.
O Sertanense alinhou nesta partida com José Luís, António João, Dionísio, Pires, Matiota, Zé Maria, Amâncio, Armando, Joca Barreto, Aníbal e Camilo. No segundo tempo, Vítor Cavalheiro entrou para o lugar de Armando e João César rendeu Camilo.
O único golo do conjunto da Sertã foi apontado por Pires, já perto do final do encontro (87’).