sexta-feira, 27 de março de 2009

Património esquecido no castelo da Sertã


O jornal «A Comarca da Sertã» dá hoje destaque, nas suas páginas, a um episódio que nada dignifica a nossa vila. O estado de abandono da maioria dos achados arqueológicos, que a equipa do arqueólogo Carlos Batata colocou a descoberto entre 1995 e 1997 naquele espaço, é confrangedor.
Quem por lá passar pode tomar contacto com o triste cenário que se verifica actualmente. O semanário sertaginense dá como exemplo o painel vertical de azulejos hispano-árabes ali existente, o qual está parcialmente destapado: “Passadiço quebrado, erva e lixo vário, tudo a desvirtuar riquíssimo património”, pode ler-se no texto hoje publicado.
Seria bom que alguém olhasse para esta situação com outros olhos, antes que possamos perder mais um riquíssimo património da nossa vila.
Foto: wikipédia

segunda-feira, 23 de março de 2009

Sertanense disputa fase de subida e Sernache perde Taça de Honra


O Sertanense terminou ontem a fase inicial do Campeonato Nacional da 3.ª Divisão – Série D na primeira posição, deixando atrás de si Benfica e Castelo Branco e Marinhense. O conjunto da Sertã venceu na última jornada no terreno do Vigor da Mocidade. Entretanto, no passado sábado, a equipa de futsal do Vitória de Sernache não conseguiu superiorizar-se à Casa do Benfica de Penamacor na final da Taça de Honra de Castelo Branco.
Sabendo de antemão que o primeiro lugar da classificação já não lhe fugiria, o Sertanense partiu para o desafio de ontem com o único propósito de vencer, de modo a garantir mais três pontos e tentar aproveitar algum deslize dos seus mais directos adversários (Benfica e Marinhense), que se defrontaram nesta jornada.
A formação da Sertã demonstrou, durante a partida com o Vigor da Mocidade, porque é um dos mais sérios candidatos ao título e Hugo Lopes, com um golo, fez o resultado final.
A fase-final do Nacional da 3.ª Divisão terá início no próximo dia 5 de Abril, com o Sertanense a alinhar no grupo da subida, ao lado de Benfica, Marinhense, Pombal, Gândara e Vigor da Mocidade.
Segundo o sorteio já realizado (a acreditar na matriz publicada no site da FPF), o Sertanense desloca-se na primeira jornada ao reduto do Sporting de Pombal, recebendo depois o Gândara. Na terceira jornada, o Marinhense recebe a equipa de Eduardo Húngaro, para no jogo seguinte ser a vez do Vigor ir até à Sertã. No último desafio da primeira volta, temos derby entre Sertanense e Benfica e Castelo Branco. Quer isto dizer que o último jogo desta fase será disputado na cidade albicastrense diante do Benfica, uma partida que deixa sempre alguns receios na massa adepta sertaginense, sobretudo pelo que por lá tem acontecido no passado recente.
Quanto às pontuações para a segunda fase (as equipas começam com metade dos pontos amealhados na primeira fase), aqui fica a relação: Sertanense 26 pontos, Benfica e Castelo Branco 22, Marinhense 22, Gândara 20, Pombal 19 e Vigor da Mocidade 18 pontos.
Por seu lado, a equipa de futsal do Vitória de Sernache não foi feliz na sua primeira final da Taça de Honra de Castelo Branco. O Casa do Benfica de Penamacor levou a melhor sobre a turma vitoriana (7-5), mas rezam as crónicas do jogo que nem tudo foram rosas para o conjunto penamacorense. Os comandados de António Joaquim estiveram mesmo na frente do resultado durante a segunda parte, todavia no final do desafio o troféu foi para os benfiquistas.
Os golos do Vitória foram apontados por Diogo (2), Fagulha, Mota e Igor.

sexta-feira, 20 de março de 2009

Memórias: Em procissão pela Sertã


O baú de memórias trouxe-nos hoje esta foto de uma procissão pelas ruas da Sertã, com a imagem de Nossa Senhora dos Remédios.
Os bombeiros serviram de guarda de honra e as senhoras não perderam a oportunidade de colocar os seus melhores acolchoados a decorar as janelas.
Foto: Olímpio Craveiro

Sertã tinha 531 desempregados em Janeiro deste ano


O concelho de Oleiros andou nas páginas dos jornais, nacionais e regionais, durante esta semana, isto porque registou, no passado mês de Janeiro, a mais baixa taxa de desemprego a nível nacional. Como somos pessoas curiosas, tentamos perceber onde é que o concelho da Sertã se posicionava neste ranking.
As mesmas estatísticas do Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP) que colocaram o município oleirense no topo da tabela, deram-nos a resposta. A Sertã possui actualmente (dados de Janeiro de 2009) 531 desempregados (Oleiros tem 70), sendo que destes, 191 são homens e 340 mulheres.
Um dado curioso que ressalta dos números do nosso concelho é o facto da maioria dos desempregados (422) estarem há menos de um ano nesta situação – pelo menos a julgar pelas inscrições efectuadas no Centro de Emprego.
No entanto, é preciso ter em atenção que dos 531 desempregados, 217 têm mais de 35 anos e menos de 54 anos, uma situação que não deixa de ser preocupante. Além disso, é de realçar que 129 dos 531 desempregados têm menos de 25 anos de idade.
Olhando para os níveis de escolaridade é possível concluir que a Sertã tem no desemprego 43 licenciados, 120 indivíduos com o nível secundário, 143 com o 3.º ciclo do ensino básico e por aí adiante.
A acreditar nos dados do Centro de Emprego, não será fácil para muitos dos actuais desempregados abandonarem esta situação, até porque, durante todo o mês de Janeiro, foram apenas colocadas sete pessoas no concelho da Sertã.

terça-feira, 17 de março de 2009

As palavras de José Paulo Farinha...


O presidente da Câmara Municipal da Sertã, José Paulo Farinha, concedeu recentemente uma entrevista – bem interessante – ao jornal «Expresso do Pinhal». Apesar de alguns temas mais polémicos não terem merecido um aprofundamento maior, foi possível perceber um pouco do pensamento político do autarca e da estratégia a seguir no futuro.
Não querendo analisar a fundo as palavras de José Paulo Farinha, deixo aqui algumas das suas impressões sobre temas que interessam a todos nós:
Obras mais importantes do mandato: O edil sublinhou que “qualquer obra é significativa”, mas deu destaque ao Jardim de Infância da Sertã, Centro Escolar de Cernache do Bonjardim, requalificação da Casa Túlio Vitorino e da Casa dos Magistrados, requalificação de Pedrógão Pequeno, no âmbito do programa Aldeias de Xisto, quartel dos Bombeiros Voluntários da Sertã e piscina coberta municipal.
Piscina municipal: “Praticamente concluída. Neste momento, ultimam-se os arranjos exteriores e alguns pequenos acabamentos interiores”.
Centro Educativo de Cernache: “Se tudo correr como esperamos, o próximo ano lectivo já ali se iniciará”.
Terminal Rodoviário da Sertã: José Paulo Farinha disse que este espaço vai ser alvo de “uma remodelação profunda, em especial, na área utilizada pelos seus utentes”.
Fonte da Pinta: “É nossa intenção repor esse lugar do nosso imaginário tal e qual o conhecemos”.
Expansão das zonas industriais: “Logo que se conjuguem determinadas condições”.
Cooperação com outros concelhos e desenvolvimento da região: “Enquanto o Interior continuar a ser uma região de feudos, desprezando a ideia de constituição de uma verdadeira região, fazendo de cada micro-território um castelo, dando primazia ao interesse individual em detrimento do colectivo, enquanto não houver imaginação e vontade política para inverter algumas situações, a situação degradar-se-á e as oportunidades perdidas não se repetem”.
Futuro do concelho da Sertã: “Vejo-o com optimismo, em contraste com alguns Velhos do Restelo. A nossa região, e o nosso concelho, têm algumas potencialidades para explorar, assim o queira ou entenda o Governo”. “Enquanto não me apresentarem outras alternativas, estou convicto que a estratégia de desenvolvimento deverá centrar-se em torno de dois clusters regionais inter-relacionados – floresta e micro e pequenas empresas de base tecnológica”.
EN238: “Continuo a confiar na resolução deste projecto, afirmando que a curto-prazo vamos ter uma via que contribuirá para dar um novo fôlego de desenvolvimento, não só a esta região mas a todo o território que lhe é limítrofe”.
Perda de população no concelho: “Embora reconhecendo que o futuro seja cada vez mais incerto e que inverter a tendência de despovoamento de um concelho seja um trabalho continuado, de longo fôlego, estou convicto que esta hipótese [perda de população] não se verificará”.
Turismo: “Continuo a pensar que, através de acções individualizadas, nenhum dos concelhos da Zona do Pinhal conseguirá ter expressão neste domínio”.
As palavras do presidente da Câmara da Sertã aqui ficam para memória futura e para iniciarmos um debate com o qual o concelho terá muito a ganhar.

Vitória de Sernache termina campeonato na sétima posição


O Vitória de Sernache concluiu, no último domingo, a sua participação no Campeonato Distrital de Castelo Branco. A formação vitoriana terminou na sétima posição, ficando afastada de disputar a segunda fase da prova, reservada apenas para os quatro primeiros classificados.
Em jeito de balanço, e recorrendo à estatística, o Vitória de Sernache somou oito vitórias, cinco empates e nove derrotas, apontando 31 golos e sofrendo 29.
A equipa treinada por António Joaquim, que alinhou alguns minutos no desafio da última jornada diante do Lardosa (talvez para matar saudades!!!), realizou uma prova irregular, sobretudo fora de casa, onde alcançou apenas uma vitória (Lardosa) e três empates (Vilarregense, Valverde e Oleiros).
Já no seu reduto, o pecúlio cernachense é bem mais positivo, fruto das sete vitórias (Escalos de Cima, Teixosense, Proença-a-Nova, AD Fundão, Pedrógão, Valverde e Lardosa) e dois empates (Oleiros e Vilarregense) verificados.
Parabéns ao conjunto do Vitória e cá ficamos a aguardar pela próxima época.

quarta-feira, 11 de março de 2009

Momentos marcantes: Inauguração do Theatro Bom Jardim


O dia 17 de Abril de 1892 (Domingo de Páscoa) foi o escolhido para a inauguração do Theatro Bom Jardim, em Sernache (grafia da altura). Para assinalar a ocasião, foram levadas à cena as peças de teatro «Tio Padre», «Dois Políticos» e «30 Botões».
Segundo a edição do jornal Certaginense, de 28 de Abril do mesmo ano, “o theatro, espaçoso e elegante, foi construído a expensas dos filhos d’aquella terra, a quem louvamos por tal melhoramento”.

segunda-feira, 9 de março de 2009

Memórias: Rancho Folclórico de Pedrógão Pequeno na década de 1960


A foto é uma memória, mas o Rancho Folclórico de Pedrógão Pequeno continua bem vivo. Fundado em 1956 pelo padre Serafim Serra e por um grupo de amigos pedroguenses radicados em Lisboa, esta colectividade continua a dar cartas com os espectáculos que realiza e com o seu festival anual de folclore que, em Junho de 2008, conheceu a 11.ª edição.
Para recordar um pouco da história deste rancho, deixamos aqui esta imagem, tirada por Sarmento Nunes (com um agradecimento especial ao Humberto Sarmento), em 1961.

O vídeo e os Popxula


video

Já aqui falámos dos Popxula, essa verdadeira instituição sertaginense formada por quatro rapazes de que nem sequer preciso de recordar o nome.Tal como prometido, e com a devida vénia à banda, aqui deixo o teledisco do seu tema mais emblemático («Carro Funerário»). Consta que terá sido gravado na cidade da Guarda, nos idos da década de 1990.

quinta-feira, 5 de março de 2009

Câmara vai ajudar empresas do concelho


É uma boa notícia e que esperamos ainda vá a tempo de ajudar as empresas do concelho, que atravessam actualmente grandes dificuldades económicas, à semelhança do que se passa um pouco por todo o país. De acordo com a Rádio Condestável, a Assembleia Municipal da Sertã aprovou na sessão do dia 27 de Fevereiro, o Projecto de Regulamento de Concessão de Apoio às Empresas.
Este projecto compreende a concessão de vários apoios, designadamente “benefícios fiscais nos impostos a cuja receita o município tenha direito, ou seja a derrama, o IMI e alguns na área do licenciamento”, sublinhou José Paulo Farinha, presidente da Câmara da Sertã, citado por aquela estação de rádio.
O autarca garantiu ainda que a edilidade tentará agilizar processos e realizar obras no espaço envolvente, afecto às instalações, “em especial quando as empresas efectuarem grandes obras de requalificação ou estiverem em fase de certificação de qualidade”.São esperadas também outras medidas, mas neste caso José Paulo Farinha escusou-se a adiantar pormenores. “É um assunto melindroso”, sublinhou o edil, que preferiu aguardar para anunciar outras medidas à posteriori, mas sem deixar de revelar que tem “mantido conversas com os responsáveis da área da economia do Governo”. “Muito provavelmente outras medidas de apoio, através do Governo Central, serão dadas às empresas que neste momento passem maiores dificuldades”, anunciou.

Centro de Inspecções Periódicas envolto em polémica


De há uns tempos a esta parte venho ouvindo falar da polémica em torno da provável deslocalização do Centro de Inspecções Periódicas da Sertã para um concelho vizinho, devido a supostos atrasos na emissão de licenças.
A edição de ontem do jornal «Gazeta do Interior» retoma a história, dando voz às explicações do presidente da Câmara da Sertã, José Paulo Farinha, sobre o tema.Sem querer entrar muito a fundo, por agora, neste assunto (não o conheço em pormenor e, portanto, quero inteirar-me melhor do que se passa, antes de dizer o que quer que seja), penso que seria bom esclarece-lo o mais rapidamente possível. Que tal uma reunião entre as duas partes?
Foto: website do Centro de Inspecções Periódicas

terça-feira, 3 de março de 2009

Acontecimentos marcantes: Telégrafo na Sertã


O calendário marcava o dia 1 de Dezembro de 1877 quando, na Sertã, foi inaugurado o serviço de telégrafo. A data foi assinalada com grande pompa e circunstância na vila.
A importância deste meio de comunicação foi por todos reconhecida e a sua entrada em funcionamento aproximou a Sertã das localidades vizinhas e do resto do país.
Quanto às origens do telégrafo, recorremos à Infopédia para ficar a saber um pouco mais: “No século XVIII Claude Chappe em França e George Murray em Inglaterra inventaram os primeiros telégrafos modernos de sinalização visual que permitiam comunicar a distâncias longas com o auxílio de telescópios. Em 1819, Hans Christian Ørsted descobriu que a corrente eléctrica podia mover uma agulha. Na Grã-Bretanha chegou a ser usado, em 1837, um aparelho telegráfico com base neste sistema, o telégrafo de Cooke e Wheatstone de cinco agulhas: as agulhas apontavam para um painel com letras e números, indicando-os. Contudo, o telégrafo que mais se notabilizou foi o de Samuel Morse (1791-1872) e Alfred Vail (em 1835). Este telégrafo era formado por um aparelho emissor e um outro receptor e permitia comunicar através de uma única tecla que, quando premida, fechava um circuito eléctrico emitindo um sinal marcado numa tira e papel, um sinal sonoro ou luminoso. Para este tipo de comunicação Morse teve de criar um código (o código Morse) que traduzia sob a forma de pontos e traços o alfabeto inteiro, a pontuação e os algarismos”.

segunda-feira, 2 de março de 2009

Petição aos Correios de Portugal solicita Inteiro Postal de D. Nuno Álvares Pereira


Um grupo de cidadãos lançou uma petição online, onde é solicitado aos Correios de Portugal (CTT) que D. Nuno Álvares Pereira seja homenageado filatelicamente, através da emissão de um Inteiro Postal (Bilhete Postal dos CTT) com a sua iconografia e a emitir no dia da própria canonização, a ter lugar no próximo dia 26 de Abril, em Roma.
“Vencedor da Batalha dos Atoleiros e de Aljubarrota, o Condestável D. Nuno Álvares Pereira desempenhou um papel fundamental na resolução da crise de 1383-1385 com Castela e na consolidação da independência. Por isso sempre foi muito justamente considerado como um símbolo da independência nacional”, pode ler-se no texto da petição, que está disponível no seguinte endereço:
http://www.petitiononline.com/inpostal/petition.html
Aqui fica lançado o repto.