quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

Jornais antigos: O Povo da Certã

“Eis o sucessor dos extintos jornais que viram a luz da publicidade na pátria de Celinda! Como a dos seus irmãos será breve a sua existência, dirão. Circunstâncias imprevistas, contrariedades irremediáveis, assim o podem determinar. Vá longe o agouro”. Era desta forma simples e directa que se apresentava o jornal «O Povo da Certã», que saiu para as bancas, pela primeira vez, no dia 23 de Março de 1909.
O tri-mensário ilustrado, noticioso e literário era dirigido por Adelino de Mello e procurava preencher o vazio editorial deixado vago pela extinção do jornal «Gazeta das Províncias», em 1900. Como que a adivinhar o seu destino, a publicação não teve vida longa, sendo suprimido alguns meses após a sua fundação. Contudo, durante o tempo em que existiu foi um importante meio de divulgação dos acontecimentos que tinham lugar no concelho. Aliás, ficou célebre a edição de 5 de Maio de 1909, quando o seu director criticou abertamente a posição da Câmara Municipal da altura de não marcar presença (nem enviar um manifesto) no famoso Congresso Municipal de Lisboa, um acontecimento que muitos vêem como a antecâmara da implantação da República, a 5 de Outubro de 1910.